Cuiabá, 22 de Janeiro de 2018

NA PIRACEMA

Quarta-feira, 10 de Janeiro de 2018, 17h:54 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

579 kg de pescado irregular são apreendidos em Porto Cercado

Da Redação

Pescado ilegal

 

Fiscalização apreende 579 kg de pescado irregular na região de Porto Cercado, em Poconé (a 103 km de Cuiabá). A ação foi realizada por uma equipe da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), na madrugada desta quarta-feira (10).

 

A equipe de fiscalização também apreendeu, durante a ação, um veículo Parati. Conforme o coordenador de Fiscalização de Fauna da Sema, Júlio Reiners, os infratores fugiram assim que a equipe chegou no local.

 

As espécies de peixes apreendidas foram de jaú, pintado e cachara. Elas foram doadas para a instituição filantrópica Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá.

 

A região de Porto Cercado está entre os lugares mais procurados pelos turistas amantes da pesca, principalmente neste período de férias escolares. Localizado entre os rios Paraguai e Cuiabá, em Poconé, principal acesso ao Pantanal Norte, o local dispõe de diversos atrativos para descanso e lazer.

 

Período de defeso

 

Afim de garantir um meio ambiente equilibrado à todos, a Sema intensificou no período de defeso as ações de prevenção nos rios por meio de patrulhamento fluvial, evitando a mortandade e retirada de peixes, assim como outros crimes ambientais.

 

Nesse período, que começou no dia 1º de outubro de 2017 e termina em 31 de janeiro deste ano, só será permitida a modalidade de pesca de subsistência, praticada artesanalmente por populações ribeirinhas e/ou tradicionais, como garantia de alimentação familiar.

 

A cota diária por pescador (subsistência) é de 3 kg e um exemplar de qualquer peso, respeitando os tamanhos mínimos de captura estabelecidos pela legislação para cada espécie. Estão proibidos o transporte e comercialização de pescado oriundo da subsistência.

 

A modalidade pesque e solte ou pesca por amadores também estará proibida nos rios de Mato Grosso. Frigoríficos, peixarias, entrepostos, postos de venda, restaurantes, hotéis e similares tiveram até o segundo dia útil após o início da piracema para informar à Sema o tamanho de seus estoques de peixes in natura, resfriados ou congelados, provenientes de águas continentais, excluindo os peixes de água salgada.

 

Quem desrespeitar a legislação poderá ter o pescado e os equipamentos apreendidos, além de levar multa que varia de R$ 1 mil a R$ 100 mil, com acréscimo de R$ 20 por quilo de peixe encontrado.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Dez 2017/Jan 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br