Cuiabá, 24 de Setembro de 2018

CASO RODRIGO CLARO

Terça-feira, 19 de Dezembro de 2017, 13h:22 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Justiça nega a Ledur trancamento de ação e conversão de tortura por maus-tratos

Daffiny Delgado

(Foto: Reprodução/Web)

tenente ledur 3.jpg

 

Em decisão dada na segunda-feira (18), e publicada no Diário de Justiça desta terça-feira (19), a magistrada Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, negou a tenente do Corpo de Bombeiros, Izadora Ledur, a conversão do crime de tortura, do qual é acusada, para maus-tratos e ainda o trancamento da ação penal.

 

Ledur é acusada de causar a morte  no dia 15 de novembro de 2016, do ex-aluno Rodrigo Claro, 21 anos, do 16º Curso de Formação de Soldado Bombeiro de Mato Grosso. Ele passou mal durante aula prática de primeiros-socorros aquáticos na Lagoa Trevisan, em Cuiabá, quando a tenente Izadora Ledur atuava como instrutora.

 

Em um trecho de decisão da juíza, ela acolhe -diante do exposto -, os embargos de declarações, indeferindo, entretanto, os pedidos de absolvição sumária, ao desclassificar o crime de tortura para maus-tratos e ainda o trancamento da ação penal. Fundamentando-se no artigo 5º, LXXVIII, CF, por economia processual e eficiência. E ainda mantendo na mesma decisão a audiência de instrução e julgamento para o dia 26 de janeiro, às 14 horas.

 

O jovem Rodrigo Claro- de acordo com a denúncia do Ministério Público do Estado -, teria demonstrado dificuldades para desenvolver atividades como flutuação, nado livre e outros exercícios e, ainda assim, a oficial utilizava métodos abusivos nos treinamentos para puni-lo. 'Inequivocamente, está claro o perfil perverso da tenente como instrutora'.

 

Ledur chegou a ser afastada das atividades após apresentar sete atestados médicos para tratamento de saúde, como depressão, desde a morte de Rodrigo e segue afastada até janeiro de 2018.

 

Outra denúncia veio à tona recentemente, feita pelo ex-aluno bombeiro Maurício Santos, que participou do 15º curso de Formação do Corpo de Bombeiros. Maurício afirmou também ter sido vítima de tortura pela tenente Izadora Ledur. 

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Agosto 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade


Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br