Cuiabá, 24 de Junho de 2018

MAIS DE R$ 14 MI

Sexta-feira, 05 de Janeiro de 2018, 16h:59 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Defensoria cobra repasses atrasados desde setembro

Da Redação

(Foto: Reprodução Defensoria)

Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso

 

O governador do Estado, Pedro Taques (PSDB), e o secretário estadual interino de Fazenda, Vinícius Borges Leal Saragiotto, foram notificados pela administração superior da Defensoria Pública, por meio do defensor público-geral em exercício, Márcio Frederico de Oliveira Dorilêo, e o segundo subdefensor público-geral, Caio Cezar Buin Zumioti, nesta sexta-feira (05). A solicitação é de que a gestão estadual tome providências quanto ao atraso nos repasses de recursos financeiros do duodécimo da Instituição.

 

Conforme o documento, o atraso nos repasses perdura desde o mês de setembro de 2017, sendo que o montante devido se torna mais preocupante em outubro, repetindo-se as pendências nos meses de novembro e dezembro, perfazendo um valor de R$ 14.903.406,79.

 

“Imperioso destacar que, em que pese as várias comunicações feitas com a Secretaria de Estado de Fazenda e Governo do Estado de Mato Grosso, não houve qualquer comunicação formal a justificar os aludidos atrasos no repasse do duodécimo na forma prevista na constituição”, diz trecho da notificação.

 

A administração superior assevera ainda que a Defensoria Pública já vinha adotando medidas de austeridade e economia administrativa, tais como a redução do expediente e dos postos de serviços de vigilância e motorista, exclusão de postos de recepcionista, revisão de contratos, bem como a suspensão do funcionamento de vários núcleos da Instituição no interior do Estado, o que tem gerado transtornos para a população, que reiteradamente solicita informações sobre o retorno dos atendimentos.

 

“Representa direito líquido e certo da Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso o repasse de seu orçamento próprio pelo Chefe do Poder Executivo, em duodécimos, sempre até o dia 20 de cada mês, devendo destacar-se que depende desse repasse a efetiva prestação da assistência jurídica integral aos necessitados, bem como o pagamento de contratos em geral e dos vencimentos e vantagens dos membros e servidores da Defensoria Pública”, diz outro trecho do documento.

 

A administração destaca também, na notificação, que trata-se de cumprimento de norma constitucional e o respeito ao repasse do duodécimo precisa ser observado em prol, justamente, da tão falada e proclamada independência entre os poderes, que seria violada sem a correta transferência do duodécimo por parte do Poder Executivo.

 

 

Pelas razões expostas, a Defensoria Pública solicita a regularização dos repasses e comunica a veemente necessidade de atender tal pedido em tempo hábil para que não se configurem prejuízos irreversíveis à saúde econômica da Instituição, que já se vê na iminência de adotar medidas drásticas para ver seu pedido atendido pelas autoridades competentes.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Maio 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br