Cuiabá, 19 de Janeiro de 2018

MEDICINA

Sábado, 16 de Dezembro de 2017, 18h:03 - IMPRIMIR | comentar (01)
A | A

compartilhar

Enfim, um exame de urina que detecta a tuberculose

Um teste bem mais simples e preciso de diagnosticar essa doença está sendo desenvolvido – e pode ajudar milhares de pessoas

Por Theo Ruprecht

tuberculose

 Um teste de urina foi capaz de detectar essa doença que compromete os pulmões (Foto: Saúde/SAÚDE é Vital)

 

Para flagrar a tuberculose, hoje em dia é necessário fazer um teste de pele ou de sangue, que não está disponível em todo lugar e que, acima de tudo, exige experiência dos profissionais. Mas pesquisadores da Universidade George Mason, nos Estados Unidos, parecem ter encontrado uma alternativa barata, eficaz e simples: um exame de urina moderno.

Em estudos preliminares, os cientistas descobriram que uma molécula – a RB221 – é capaz de detectar e aprisionar uma espécie de açúcar que a bactéria da tuberculose libera no corpo. Então coletaram amostras de xixi de 48 indivíduos com a doença e as colocaram em contato com essa partícula.

Daí veio o resultado animador: a estratégia aumentou a precisão do exame em até mil vezes, garantindo uma sensibilidade superior a 95%. O método chegou até a diferenciar a severidade da enfermidade, o que pode ajudar no tratamento.

Os experts agora precisam expandir seus estudos para mais voluntários e, dentro do possível, simplificar o exame. Se tudo der certo, é possível que em três anos a novidade chegue ao mercado.

 

O que é tuberculose

Estamos falando de uma doença causada pelas bactérias Mycobacterium e Bacilo de Koch. Esses micro-organismos são transmitidos por contato com fluidos corporais, como secreções nasais.

A tuberculose afeta principalmente os pulmões e gera tosse seca, cansaço, febre, falta de apetite. Conforme avança e degenera esses órgãos, pode colocar a vida do paciente em risco. No mundo, são mais de 9,6 milhões de casos por ano e 1,5 milhão de mortes – muitas delas no Brasil.

O tratamento envolve o uso prolongado de antibióticos, que pode se estender por seis meses ou até mais. Se a pessoa não abandona o tratamento, consegue se curar.

No entanto, eventuais danos graves ao corpo são irreversíveis. Daí a importância da detecção precoce da tuberculose – e, por consequência, a relevância desse exame de urina.

Fb

Compartilhe esta notícia com os seus amigos

0 Comentário(s).

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

COMENTAR ESTA MATÉRIA
FECHAR

Edição Atual

Ed. Dez 2017/Jan 2018 Revista Única

ASSINAR LER A REVISTA MAIS



vídeo publicidade



Av. Historiador Rubens de Mendonça, 1731 - Cuiabá MT

arte@unicanews.com.br